A seleção brasileira já tem três vezes mais patrocinadores do que na última Copa do Mundo. São dez contratos fechados e um em negociação. Estima-se que a CBF arrecadou mais de US$ 200 milhões em contratos de patrocínio, só este ano.

Além da Vivo, estão na mesma categoria de patrocínio master as empresas Nike, Itaú, AmBev e o frigorífico Marfrig – que comprou a marca Seara.

As empresas alegam diversos motivos para aliar suas marcas à seleção brasileira. A AmBev, por exemplo, considera que durante os jogos, o consumo de cerveja aumenta. Por esse motivo, bloqueou a presença da concorrência nos três níveis possíveis de exposição de marca.

Fonte: AdNews

Anúncios