Mesmo sem a aprovação do projeto Ficha Limpa – que pede que sejam inelegíveis candidatos condenados por alguns crimes – os eleitores terão à mão um bom aliado na hora da escolha do voto.

O arsenal para municiar a escolha nas urnas de representantes para a Presidência, Congresso Nacional e Assembleias Legislativas vem de uma série de entidades governamentais e da sociedade civil e promete ganhar o meio virtual e as ruas para fazer valer, na prática, os efeitos da norma até então negada pelos atuais parlamentares.

As informações sobre a ficha dos candidatos prometem ser divulgados no site do Tribunal Superior Eleitoral e repassados para outros endereços, como o da ONG Transparência Brasil, Associação dos Magistrados, Ordem dos Advogados e até da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Fonte: Uai

Anúncios