“Paro é uma foca-bebê robô, que se movimenta, abre e fecha os olhos, reconhece o que está acontecendo a seu redor e produz o mesmo barulho que um bebê-foca faz, um “uuu” agudo.

Desenvolvido pela japonesa AIST, Paro é um robô terapêutico, foi criado para ajudar no tratamento de pacientes psiquiátricos e neurológicos, como os que sofrem de mal de Alzheimer. O objetivo da foquinha não é pequeno: reduzir o estresse dos pacientes, estimular a interação entre pacientes e enfermeiros, melhorar os níveis de relaxamento de motivação e aumentar a socialização entre pacientes.

Adotado em diversos países, o robô tem sensores de tato, iluminação, som, temperatura e posição. Reconhece em que posição está e percebe pessoas e ambiente. Além disso, ele entende quando está sendo chamado e ainda aprende o comportamento dos pacientes. Ele faz movimentos e emites sons quando recebe carinho, pisca os olhos quando a luz acende, abre os olhos e grita quando apanha ou é segurado de cabeça para baixo”.


Do Estadão